11.9.8289.8651 kurt@dortemtratamento.com.br

«

»

jan 06

ALONGAMENTO LOMBAR, DICAS FAZER EM CASA

Alongamento lombar: Vale lembrar que a dor na região lombar é um sintoma, sendo essencial afastar diagnósticos diferenciais (doenças neoplásicas, infecciosas e inflamatória, bem como comprometimento neurológico progressivo).

Na  maioria dos casos, há uma etiologia  biomecânica (lesão repetitiva por diferentes forças que agem na coluna durante o dia-dia).

Nestes casos, observa-se um comprometimento da unidade funcional da coluna dinâmica (músculos estabilizadores “CORE”) desvios posturais, encurtamento com retração miotendínea, pontos- gatilho miofasciais, fraqueza e descondicionamento muscular.

Quando a sobrecarga, o excessivo de uso e os vícios posturais persistem por tempo prolongado pode desencadear as lesões estruturais:

LESÃO DOS LIGAMENTOS DA COLUNA 

 LESÃO MUSCULAR  E DOR MIOFASCIAL REGIÃO LOMBAR  

ALTERAÇÕES DISCAIS 

 

HÉRNIA DE DISCO COM LESÃO RAIZ NERVOSA – RADICULOPATIA

 

INFLAMAÇÃO ARTICULAR

 

 
 

E QUAL O MELHOR TRATAMENTO? 

O tratamento deve basear-se num processo de mudança. O Médico Fisiatra deve estabelecer um plano terapêutico individualizado, em conjunto com o paciente e outros terapeutas envolvidos. Procedimentos cirúrgicos são indicados apenas em casos refratários às intervenções conservadoras e minimamente invasivas.

A prioridade inicial é o controle da dor e do processo inflamatório. Posteriormente, procede-se com intervenções para ganho e manutenção da amplitude articular e extensibilidade músculo-tendínea.

No momento certo, inicia-se a realização de exercícios de fortalecimento e resistência muscular, bem como treino de consciência corporal, coordenação motora e propriocepção.

Além disso, é fundamental  melhorar o condicionamento cardiovascular global e a manter o programa de exercícios.

Leia mais:DOR NAS COSTAS TEM TRATAMENTO!

QUAIS O MELHOR EXERCÍCIO (alongamento lombar) PARA QUEM SOFRE DE DOR NAS COSTAS ?

Depende

Os exercícios terapêuticos (cinesioterapia) devem ser realizados com a supervisão de um terapeuta capacitado com os objetivos de:

–  reduzir a dor,

–  corrigir desequilíbrio muscular

–  melhorar a flexibilidade dos estabilizadores do tronco e pelve.

–  fortalecimento do Core

 Segue alguns exercícios clássicos (no entanto, reforço que muitos pacientes  devem iniciar com versões adaptadas de cada exercício e progredir conforme a tolerância).

Veja neste link exercícios para realizar diariamente:

 

 

Alongamento dos músculos posteriores da coxa (isquiotibiais)

 Versão em pé: colocar o calcanhar da perna sobre um banco de +-40 cm de altura. Inclinar o tronco para a frente e flexionar o quadril até sentir uma sensação de alongamento na parte posterior da coxa. Não deve sentir dor, atenção para não dobrar o joelho e manter os ombros e as costas alinhadas.

Conte 30 segundos. Repita 3 vezes cada perna. Progredir conforme tolerância

Posição GATO ( relavamento músculos eretores da coluna): Fique na posição 4 apoios, permita que as costas curvem-se para baixo e então deve-se arquear as costas. Conte 30 segundos, Repita 3 vezes.   Progredir conforme tolerância.

Tilt Pélvico: Deite de costas, mantenha os joelhos dobrados e os pés apoiados no chão. Contrair os músculos abdominais,  tentando aproximar o púbis das costelas, fazendo com que as costas  fique em contato com o chão. Mantenha a posição por 15 – 20 segundos e relaxe. Repita 3 vezes. Progredir conforme tolerância.

Joelho sobre o peito: Contrair os músculos abdominais e puxar um joelho sobre o peito. Manter por 15-20 segundos e retornar a posição inicial. Alternar os lados. Repetir 3 vezes cada lado.

Dois Joelhos sobre o peito: Contrair os músculos abdominais e colocar os dois joelhos sobre o peito. Manter por 15-20 segundos. Repetir 3 vezes.

Rotação da parte inferior do tronco: Contrair os músculos abdominais, mantendo os ombros encostados no solo, lentamente e de modo gentil, rodar os joelhos para um lado e depois para o outro, dentro do seu limite. Conte 30 segundos. Repetir 3 vezes cada perna

Alongamento rotadores do quadril: Deite de costas, puxe um joelho para o peito e leve até o lado oposto do tronco, até sentir um alongamento da nádega e das costas. Manter por 15-20 segundo e repetir 3 vezes cada lado.

QUANDO RETORNAR À ATIVIDADE FÍSICA ? 

O retorno ao esporte e à atividade física, deve ser realizado do modo mais seguro possível. A velocidade de recuperação de um indivíduo é diferente do outro.

Quando a dor estiver controlada, o médico deve orientar um programa de exercícios diários, iniciados com aquecimento e  30 minutos de exercícios aeróbicos de baixo impacto (caminhadas, bicicleta estacionária, hidroginástica, entre outros).

Para retornar, seguramente, ao esporte ou à atividade física prévia, é essencial  restabelecer a amplitude de movimento prévia à lesão ou início dos sintomas e ser capaz de correr, girar sobre o tronco, sem sentir desconforto ou dor. Por isso, é essencial consultar um médico especializado em reabilitação.

Leia mais:

http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/backpain.html

http://emedicine.medscape.com/article/310353-overview

 

 

Recursos no Tratamento
da pessoa com dor

 

 

Quer ficar por dentro das novidades do canal Dor Tem Tratamento inscreva-se!! 

Conquiste bem estar e qualidade de vida: Dor tem Tratamento!!!
Converse sobre as suas dúvidas com um médico especializado em reabilitação (Fisiatria). Entenda melhor como é a reabilitação da dor pelo médico Fisiatra aqui

cropped-capa-blog.jpg
Médica Fisiatra – Dor e Reabilitação
Procedimentos Minimamente Invasivos em Medicina da Dor

Para mais informações ou agendamento de sessões terapêuticas com a Dra Maike Heerdt entre em Contato

 

Deixe uma resposta